sábado, 15 de agosto de 2009

Espelho que não é meu.

Preciso me refazer. Pra dizer a verdade, eu tento. Todos os dias. Mas ainda nao descobri por onde começo, e se devo começar tal façanha. Isso me constrange. Me constrange dizer, me envergonha pensar. Não posso ter perdido minha identidade. Não.

À alguns meses eu achava que me conhecia. Uns anos atrás eu me conhecia. Hoje, eu sou o de alguns meses e o de alguns anos. Me perdi? Deixei de ser quem eu era? Sou outro? Acho que ainda não tenho tal poder. Mas existem coisas que me intrigam. Demais até.

Queria poder mesmo mudar, daí eu já não seria mas este que me persegue, que me mata e que me ressucita. Puta que pariu porque me traz de novo! Gosta de ver minha dor, mas sou vingativo, e estou começando a amar minha dor. Mesmo sendo um "amor falso" - a palavra amor vem à frente. Acho que ganhei. Não: empatamos.

Eu ainda não sei me livrar de mim mesmo e minha sombra não revela quem sou. Já tentei inúmeras vezes virar a cabeça, mas o que enxergo não sou eu. Ou até sou, mas não me reconheço.

Vou parar de usar as palavras por puro orgulho. Pois amo escrever, e quando escrevo me conheço, e tenho medo de descobrir o que eu não imaginava.

5 comentários:

Hector Nathan disse...

"o quanto de mim não é outro?"

Arlequim disse...

Não: empatamos.
Pois é, meu caro, cá estamos nós mais uma vez

Me.Veloso! disse...

As coisas mudam, nos mudamos mesmo qndo parecemos os mesmos. As pessoas ficaram mais velhas, a tecnologia mais evoluida e o homem mais burro do que nunca.

Se realmente mudaremos? eis a questão.

Abçs

Luízα disse...

Amadurecer é nescessário. Todo mundo muda. Não devemos ter medo das mudanças. B-jeans

Fe disse...

Vou parar de usar as palavras por puro orgulho. Pois amo escrever, e quando escrevo me conheço, e tenho medo de descobrir o que eu não imaginava.

sabe.. eu também tenho medo as vezes, das mudanças e até de mim mesma. Mas acho que não devemos deixar de ser quem somos de verdade por medo de não ser aquilo que queríamos ser.
bjooo. Adoro isso aqui.

Eles