terça-feira, 18 de agosto de 2009

18/08 - 19:52 (Sem Paz - China)

Acordei mais cedo anteontem. Não era proposital. É que meus pesadelos me estragaram tanto, que acordei de medo. Então pensei em não durmir mais. Inevitável, eu sei. Mas agora eu tento.

Nesta noite descobri uma técnica que não há de falhar. Acompanhar o ponteiro dos segundos. Seus caminhos, suas travessas mais longas e as mais curtas, e seus encontros esperado pelo segundo ponteiro. Se me agoniza apenas ouvir? Não.

Quatro da manhã e eu pensava em fechar os olhos. Os ponteiros me seduziram, já não era eu quem escolhia se durmiria ou não.

Agora eu sinto medo de relógios. Até dos digitais. Continuo não querendo durmir, mas agora não quero acompanhar ponteiros também. E quem disse que o ponteiro faz tic-tac? Não amigos, ele faz apenas tac--tac, com uma pausa equivalente a uma morte entre os tacs da vida. Garanto, é pior. Sempre no seu taczinho irritante e agonizante você se perde, perdeu não só o chão como todos os sentidos, do primeiro ao sexto. Como eu lhe odeio relógio. Declaro. Odeio o tempo. Não, eu não o odeio. Eu o amo. Profundamente.

O tempo não sabe a melhor hora, pois se soubesse não ficaria rodando de tal forma para agonizar os ouvidos alheios, apenas mostraria a melhor hora para cada um. O tempo é um amigo filho da puta. Um camarada distante de perto. Quando você acha que sabe às horas, você se engana. O tempo muda consntantemente acelerado, de forma que sua visão falha. E logo os segundos se tornam minutos que se tornam outras coisas que você está cansado de por em frases clichês. Mas o pior não é o tempo passar, é morrer entre os tempos.

2 comentários:

Fê, disse...

"O tempo muda consntantemente acelerado, de forma que sua visão falha." é verdade,o tempo passa muito aceleradamente,de maneira que a gente às vezes nem percebe o que está fazendo.
Pesadelos também me atormentam à noite,eu sonho com aranhas gigantes ^^ só que eu tirei o relógio que tinha no meu quarto,porque os "tacs" que ele fazia me davam medo.Os famosinhos tcs pareciam o trote do cavalo do cavaleiro sem cabeça,que estava vindo buscar minha cabeça. Eu sei,eu viajo muito hsuahsau.Muito sucesso,amei seu texto.Beijos.

Rodrigo Nunes disse...

Cara, muito bom o texto. Me instigou a ler mais. Infelizmente e ironicamente não tenho tempo agora(rs!) mas já salvei entrei meus favoritos pra ler calmamente tudo que tens escrito aqui durante tanto tempo.

Ah, agradeço o comentário no meu blog. Comentários são sempre muito bem-vindos, inclusive surgindo do nada.

Eles