sexta-feira, 20 de novembro de 2009

novembro sempre chega.

era somente uma dor, não- classificável,
uma dor sem nome, uma dor sem intensidade,
apenas uma dor que chegava e que nunca saia.

ele sentia o peito fulminante,
não sabia explicar aos demais seus sentimentos noturnos,
ao lado da fênix ele só sabia chorar.

choro de desespero no primeiro momento,
no segundo, choro de raiva,
choro de não sentimento no próximo,
e encerrava o bloco com lágrimas de dor.

e quando sentia novamente aquela sensação imprópria,
não havia mais choro em sua face,
suas lágrimas secaram pela primeira vez:
tudo que ele tinha a chorar, sua vida já roubara.

4 comentários:

Minerva disse...

Dor
de todas as formas é ruim...
Adorei o post

Arlequim disse...

novembro soa tão triste.

Glen Pace disse...

Seu mês de "dores" é novembro?
O meu é julho, acho que sempre foi... :\

Silas Soares disse...

Primeira visita de Silas Soares no Blog de Gerson Oliveira. Parabéns pela iniciativa, pela liguagem serena, clara e emotiva. Gostei!!! Parabéns!!!

Eles