domingo, 8 de novembro de 2009

daquilo que (não) se vê

é tarde de outono e elas caem,
caem do alto, do ponto máximo daquilo que se diz natural.
outras coisas costumam cair,
e no chão permanecem até o próximo sopro.

o vento é o carrasco de meus sentimentos,
ele deixa bambo, confuso, enlouquece- os,
joga à terra e varre de meu caminho.

até o próximo vendaval.

5 comentários:

Fe disse...

Quando parece que tudo tá certo, vem um vento e leva tudo embora...

bjsbj ;*

Blue Bird disse...

Mesmo quando pensamos que alcançamos estabilidade emocional, em fração de segundo, tudo esvaece, vai assim como veio; tudo o que acreditávamos. tudo o que somos.
Beijos :)

Bruna Bianconi disse...

E sempre tem o próximo vendaval...seria até estranho se um dia não tivesse.

Nanda Matos disse...

a ventania assusta, mais também acalma.

Geriel Barros disse...

legal cara :D

Eles