quinta-feira, 22 de outubro de 2009

poema das 21:02

hoje alguma faca perfurou meu coração,
- não vi tua direção-,
não tive tempo para nada,
só senti meu sangue escorrendo,
escorria de tal forma que só fui sentir à coxa,
mas conheço tonalidade e cor do meu,
e este sangue não me pertence.

4 comentários:

Bruna Bianconi disse...

É ruim sentir algo que não nos pertence.

Arlequim disse...

hoje alguma faca perfurou meu coração [2]
sem mais.
Ahhh, é que, sei la..

Esther cyrraia disse...

facas e coraçao... estao se tornando rotina...
mas como vc mesmo disse, este sangue nao é meu tb...

gostei de tuas palavras, breves, fortes e verdadeiras.

adorei teu blog, estou seguindo e desejando sucesso!!

xeru

Glen Pace disse...

Fiquei a imaginar um procedimento a esse poema...
gostei bastante do blog, já estou seguindo (:

E obrigado pela visita lá no Cartas Mortas! (:

Eles