sábado, 21 de fevereiro de 2009

sete.

.. fico pensando no poder, na simplicidade, na inutilidade divina, nas inumanidades, mas deixo de pensar por algum tempo - silêncio me faz bem - é isso eu nem preciso resaltar muito. Me desprender de meu corpo as nove horas da manhã á maravilhoso, é como utilizar a natureza, utilizando apenas o própio corpo - deixei de existir.
Duas horas e meia para um prazer de milésimos de segundos, um prazer num tempo material tão curto, mas num prazer espiritual maior ainda, onde o limite não era o início, era o meio, o meio mais vulgar possível, me desprendi, fiquei nú de palavras, fiquei nú de amores e de paixão, meus sentimentos foram viajar.
Quero novamente, quero duas doses, três ou quatro, não quero nunca mais esquecer, quero sempre morrer e viver.

3 comentários:

rezitchaa: disse...

gostei do jeito que escreve, me lembrou algumas coisas que escrevo, mas melhor :D

Me.Veloso! disse...

Nossa muto bom o blog?
como faco para me tornar seguidor?

=D

Liv. disse...

"deixei de existir."
maravilhoso, simples e bonito.
(:

Eles