sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

um minuto, um texto.

Eu já pensei em muitas coisas nessa vida, questionei diversas outras, entrei até em crises existências (como dizem por aí), tentei entender as cores da felicidade, e as canções de amor, bem adolescente mesmo, não nego, é tão bonito às vezes falar as verdades que estão presas, como: "eu queria ver a sessão da tarde, e rever mulheres apaixonadas", ou mesmo falar que leio sim Clarice Lispector, e se eu acabo não entendendo eu releio sem problemas, às vezes parar um pouco no tempo, e não apenas ficar em silêncio, e sim entender o seu silêncio, cada ponto de luz de sua visão, ou mesmo de sua não-visão, saber que se precisamos de algo, é estar bem com você mesmo, e não se perder de você mesmo, encontrar suas ideologias, encontrar sua personalidade, e não se perder com as personalidades alheias, aprender a ter seus própios gostos, ouvir sua própia alma, e entender sua mente, nem que seja 0,0001%, faz um bem inexplicável e incomparável, conseguir enxergar o que acontece ao seu redor, nem que seja nos primeiros 10 minutos de seu dia, nem que seja pra ler um jornal, ou mesmo quem sabe abrir qualquer site informativo, enquanto toma seu café da manhã, procurar não perder o eu interior, e não deixar o eu exterior em intermédio com o mundo.
Encontrar- se com Deus, nem que seja uma vez por semana, e sorrir uma vez por dia, nem que seja com um desses vídeos que rolam no youtube, e que você vê sempre que precisa se sentir bem.

Um comentário:

Suellen disse...

Precisamos nos conhecer e deixar o nosso silêncio reinar mais em nós.

lindo texto, beijo

Eles