domingo, 13 de junho de 2010

##

Eu só precisava encontrar um equilíbrio naquela casa que já foi palco de um filme cheio de pré e adolescentes, imune a vida, ou que se sentiam tão imune que não calculavam o peso de seus dedos sobre o ar da nova estação. Eu tinha meu equilíbrio no quarto do lado, mas eu não sabia como utilizar: se bastava abrir, ou se consumia ao máximo. Não sabia se dizia olá ou simplesmente abaixava a cabeça e entrava sobre seu-meu domínio. Eu era tão frágil naquela escuridão, que minhas forças foram atividas pelo sei la o que, e, foi dominando minha alma e meu físico, trazendo a linha de meus olhos o que eu precisava ser. Alguém que sente, mas que deixou de brincar. Nunca fui um ser forte. Não serei. Mas terei momentos de força como as noites psicodélicas do fruto da orgia noturna.

4 comentários:

Bruna Bianconi disse...

E você escreve tão lindo que eu nunca sei comentar...

beijos

Fernanda Zanol. disse...

Eu tô precisando ser forte, agora mais do que nunca.
Lindo post, mais uma vez.

bjaoo.

Amanda disse...

E como eu queria agora um momento de força.

Lua S. disse...

Olá Gerson.
Nossa adorei esse texto super realista.

Beijos e boa semana.

Eles