sábado, 15 de maio de 2010

daqui para lá, sem pressa e sem ordem natural,
daqui para lá, sem lágrimas,
daqui para lá, sem casulo, sem dependências;
daqui para aqui, só como colunas reestruturadas
(do vento, meu único medo, é não voar)

2 comentários:

Fernanda Zanol. disse...

'do vento, meu único medo, é não voar'
ameeeei.

Tu não sabe como me faz bem ler teu blog.
beeeijo ;*

Amanda disse...

eu também amei a última frase.
muito bom o texto ^^

Eles