segunda-feira, 12 de abril de 2010

# me perdi.

Talvez não sou eu o perdido, é meu coração que não sabe se vêm ou se vai. Se for para o longe, - que vá bem amado -, pois, queira aceitar ou não, o que se busca nessa coisa que é chamada de vida é o amor, não tento mais criar uma cegueira para esta verdade, é o amor que move as pessoas, independente de qual tipo, número, gênero e sua qualidade.

4 comentários:

Georgia Hammine disse...

Olá, Gerson, tudo numa boa? ^^
De fato, não se perca, só tenha uma única certeza, é o amor que move as coisas mais lindas e intensas (não estou falando romanticamente não hem!?), como você mesmo diz "independente de qual tipo". Se nessa sua dúvida existe a interrogação, "pra onde vou ?", vá e não se deixe prender ao espaço geográfico nem ao tempo.

P.S. A descrição no teu blog de "quem eu sou" é tão sublime a ponto de eu pensar, perfeito, é isso, isso é escrever!

Abraçooo ^^.

Fernanda Zanol. disse...

Sem o amor não somos nada. É o clichê mais verdadeiro.

bjaoo ;*

Priscilla disse...

Impossível mesmo não enxergar.
Não é o raciocínio que nos faz humanos, mas o amor.

(:

rafael Costa disse...

São as relações que nos tornam humanos, fora isso, somos máquinas.

; )

Eles