segunda-feira, 22 de março de 2010

#Postagem 223

Preciso de uma dose de vodca com duas pedras de gelo e um tanto de suor numa sala escura, cheia de calor humano, ou desumano.

Necessidade não é vontade (Leia repetidamente, e em voz alta).

O que eu quero eu já não sei.

Sei que abdiquei o amor e a dor. Aceitei o prazer, meus luxos e minhas palavras de escárnio. Escarrei suas vontades nesta tua pele de plástico; procurei sentir o que eu nunca senti na vida: - uma vaidosa liberdade de ser - e deixei o cd tocar até a última faixa, quando a coitada da vocalista grita e o amplificador explode (só para chamar atenção).

2 comentários:

Fe disse...

Como consegue ser tão intenso?
demais. *--*

bjooo.

Avarandados do anoitecer disse...

Belíssimo!

Eles