terça-feira, 5 de janeiro de 2010

duzentos.

pra que essa falsidade toda,
pra que pensar nessa falsidade toda,
se hoje o que eu preciso é de um abraço,
ou nem isso;
um oi sincero,
ou um aperto em minha mão,
clamando - proteção.

pra que tudo isso se você nunca existiu.

2 comentários:

Fe disse...

as vezes eu tbm só preciso de um abraço...

ah, fiquei curiosa: pq o título do post é duzentos? rsrs

bjaoo.

evandro mezadri disse...

Poeta, muito bom, como todos os outros textos postados em seu rico espaço.

Grande abraço.

Evandro L. Mezadri

Eles