terça-feira, 19 de janeiro de 2010

(...)

Falta- me alguma espécie de sentimento, alguma palheta de cores que ainda não experimentei. Acho que vira e mexe, molha e seca essa terra e essa falta continua sendo minha. Pertence a este corpo que correr pelas ruas negras da cidade famosa.

Paro e olho para o celular - nenhuma tentativa de chamarem minha atenção. Faz tempo que não recebo as ligações com toques especiais. É incrivelmente doloroso ter que ir à guerra sozinho sem saber como que se pega numa arma de fogo.

Um comentário:

Bruna Bianconi disse...

"É incrivelmente doloroso ter que ir à guerra sozinho sem saber como que se pega numa arma de fogo."
Mas essa dor acaba em aprendizado, se torna algo bom :)

Eles