quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Na curva central

No silêncio de tudo
apenas me encontro,
e me vejo encostado ao mar e a natureza calma.

O ar chega derrepente,
espero vento, mas só há ar hoje.
Chega de leve e se aconchega,
rela em meus dedos, me segura e lambe minha retina.

Agora, encontro- me entregue ao desconhecido,
algum corpo vazio predomina um outro cheio,
cheio de dores, tristezas e sorrisos.

Me vejo ao chão em segundos seguintes,
não há cor no primeiro momento, apenas formas para se colorir,
é um momento esdrúxulo e vai se amarelando.
As formas se restringem agora. Loucura minha, corpo teu.

6 comentários:

Fe disse...

Teus textos me deixam loouca! shauhsuahsuah
amo demais teu blog.

bjaooo.

Bruna Bianconi disse...

Que texto intenso, me coloquei dentro dele e me perdi, você tem muito talento.

beijos.

P. Young disse...

Sim, sim, concordo com as meninas, escrita evoluida, interessantíssima.

Arlequim disse...

eu também ficaria com a loucura ao invés do corpo, o corpo seria seu e a loucura minha, talvez? rs
bacanérrimo.
adorei.

beijos (vou aguardar o email. rs)

Hector Nathan disse...

nao gosto tanto das cores, o que me atrai mesmo é aquilo ainda por colorir

Rafa. disse...

Você tem um dom!!
Não tem como não fazer parte dos seus textos, de sentir na pele o que está escrito!!

PARABÉNS!!

http://urlovertoo.blogspot.com

Eles