domingo, 24 de maio de 2009

Sem Título às 13:42

Nunca pensei que acordar fosse tão difícil, pensou ela.

Acreditava em tudo que os mais velhos diziam, menos na noite; era algo lúdico demais pra ela, a noite funcionava como o amor, era mágico demais pra existir, perfeito demais pra se realizar em terra.

E já era 1:30 da manhã e ela ainda não acreditava. Ela passou a vida sem creer, ela foi como uma fogueira em tempos de são joão, só se queimava, nunca foi capaz de alcançar o distante, nunca sobreviveu mais de dois dias.

Ela era dividida, sempre foi. Ela só era ela em tempos modernos, em tempos de alegria, nunca sofreu, nunca sentiu gostos, nunca se queimou sozinha. Aliás, nunca se queimou. E quem não se queima não pode fazer parte desta brincadeira.

3 comentários:

Fe disse...

E como dizem... quem brinca com fogo acaba se queimando...

bjuuuu.

Kenia Cris disse...

Agradecendo pela visita ao meu espaço torto. Gostei daqui e da descrição do perfil :) voltarei! Beijo carinhoso com doçura. Sucesso sempre.

Eveline disse...

E é verdade que gostei daqui.
Estava na comunidade do Caio F. e tava vendo o tópico de blogs e por gostar de inverno cliquei no seu e só no seu.
Bom texto.
Abraços doces.

Eles